domingo, 16 de junho de 2013

Documentário sobre o jovem surfista e seminarista Guido será exibido na JMJ

Renato Francisco

Um jovem que viveu a fé cristã com a alegria da juventude. Este foi Guido Schäffer, um seminarista, que também foi surfista, cuja história será mostrada na JMJ Rio2013, em um documentário e um livro sobre sua vida. Com humildade e entrega, o jovem, que formou-se em Medicina, dedicou sua vida ao trabalho com os pobres e necessitados. O livro "O anjo surfista", de autoria do escritor português Manuel Arouca, será lançado no dia 1º de julho, às 19h, na Livraria Argumento, no Leblon.
Em entrevistas com parentes e amigos e imagens que mostram o cotidiano de Guido, o documentário pretende mostrar a vida dele como um exemplo a ser seguido por outros jovens. Segundo uma das produtoras do filme, Cristina Arouca, o projeto do filme é dela e de seu marido, Manuel Arouca, que está escrevendo a história e o livro sobre a vida do Guido. "As ideias do filme e do livro vieram juntas. A história dele é tão rica e cheia de detalhes que dá para fazer tudo. O documentário impressiona pela atualidade da realidade das pessoas que falam. Os relatos vivos são muitos impresionantes", destacou.
Cristina conta que os jovens se apaixonavam pela forma com que ele conduzia a vida e que muitas pessoas foram tocadas pelo seu exemplo e testemunho e até hoje se mantém fiéis ao propósito de vida dele. "Dizem que ele encadeava luz e paz, e se dedicava muito à Palavra de Deus. É uma pessoa que atravessa gerações", disse.
No dia 1° de maio de 2009, ele morreu fazendo o que gostava: pegar ondas. Por isso, foi realizada, neste ano, na mesma data, uma gravação na Praia do Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio, local em que ele costumava surfar com os amigos e onde morreu, vítima de afogamento. Antes de entrarem na água, os surfistas rezaram o Terço, como Guido sempre fazia junto com eles. Também foram celebradas duas missas pelo 4° ano de seu falecimento, uma na Paróquia Nossa Senhora de Copacabana e outra na Paróquia Nossa Senhora da Paz, onde também foram gravadas algumas imagens para o documentário.

Amigo desde a juventude
Guido tinha como grande amigo o padre Jorge Luiz Neves, mais conhecido como padre Jorjão, que o acolheu com muito carinho no EJC-Paz, o grupo de jovens da paróquia Nossa Senhora da Paz. No grupo, Guido sentiu o chamado para ser padre e entrou para o Seminário. Hoje, padre Jorjão faz do grupo que busca a beatificação do jovem surfista. Para o sacerdote, o exemplo de vida de Guido desmente o discurso dos meios de comunicação de que a Igreja "é coisa de gente chata e triste e de idoso".
"Era um jovem normal, surfista carioca da Zona Sul, que pegava onda, falava gíria e que tinha um ideal na vida. Ele namorou, ficou noivo, estudou, se formou e foi um grande médico, que era elogiado pelos professores de Medicina e pelos pacientes. Tinha carinho pelos simples e pobres e trabalhava com os moradores de rua. Quis ser padre, foi para o Seminário e, mesmo assim, não perdeu a alegria e a juventude, o modo de ser carioca. Ele contagiava os surfistas na praia, falava de Deus e transformava a vida de pessoas que bebiam, e deixavam de beber, e de drogados, que abandonavam as drogas. Um jovem que tocava idosos, jovens e crianças, e pessoas de todas as classes. Isso fala mais que mil palavras. A Palavra de Deus não fez dele um homem careta e chato, mas um jovem de fé alegre e de bem com a vida, que fazia feliz outras pessoas", contou.
Padre Jorjão também está fazendo um livro em homenagem ao Guido, que tem a previsão de ser lançado na época da JMJ. Segundo ele, o livro mostra que não é uma utopia a juventude e vida cristã", destacando que "qualquer jovem, more no Alasca ou no Rio, na Baixada ou em Copacabana, seja rico ou pobre, pode ser cristão".
Segundo os produtores, o filme vai ter imagens aquáticas para mostrar a sensação de Guido nas ondas. O tricampeão mundial de surf de Ondas Gigantes, Rodrigo Resende, também conhecido pelos surfistas como "The Monster", que também era amigo de Guido, também vai participar do documentário.

Breve biografia de Guido e oração para a devoção privada
"Guido Schäffer nasceu em 22 de maio de 1974, em Volta Redonda, Rio de Janeiro. Em 1998, formou-se em Medicina e, um ano depois, iniciou sua residência médica na Santa Casa de Misericórdia e o atendimento médico à população de rua com as Missionárias da Caridade. Em 2001, passou a integrar o corpo clínico da Santa Casa e a atuar na Pastoral da Saúde.
Inclinado ao sacerdócio, iniciou os estudos preparatórios no Mosteiro de São Bento em 2002 e ingressou no Seminário São José em 2008. O seu amor à Eucaristia, a sua vida de profunda oração, a sua entrega abnegada aos pobre e doentes, a sua dedicação missionária e a sua humildade em esperar o momento de receber o Sacramento da Ordem, que fortemente desejava, são traços que compõe o retrato de sua alma.
Em 1º de maio de 2009, ele faleceu, vítima de afogamento, enquanto surfava, na Praia do Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro." (Santinho de Guido Schäffer)

Oração
Guido Vidal França Schäffer

Oração para a devoção privada
Amado Deus e Senhor que, através da vida do vosso jovem Guido Schäffer, nos ensinastes, com seu exemplo e ardor missionário, a lançar-nos mar a dentro no caminho da fé, concedei-nos por seu testemunho de jovem, médico, seminarista e surfista, anunciar com renovado ardor vossa Palavra e alcançar por sua intercessão a graça qie vos pedimos (pedir a graça) a fim de que tenhamos, um dia, a alegria de vê-lo elevado à glória dos altares. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Filho bendito da Virgem Maria, Mãe do Amor Formoso, Ele que é Deus convosco, na unidade do Espírito Santo. Amém. (Rezar Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória)

Foto: Santinho de Guido Schäffer.

4 comentários:

  1. Grande testemunho! Fiquei conhecendo a história do Guido esses dias, devido também ao lançamento do livro. O autor esteve com o padre Omar lá no Vicom! Parece que ele está em estudo para um futuro processo de beatificação, né?

    ResponderExcluir
  2. Gostei muuito de saber um pouco mais, sobre o Guido Shaffer um grande medico, que demonstrava sua fe e bondade atraves da caridade. do carinho com os mais necessitados . Isso e um grande testemunho de fe. Parabens..

    ResponderExcluir
  3. Meu nome é Kátia Cabral, fui da comunidade Canção Nova, onde conheci o Guido na casa de Maria em Queluz/SP. Posso dizer o quanto o Guido foi importante para mim. Todos os dias nos falávamos por e-mail ou por telefonemas. Quando ele entrou no seminário, foram dimuindo nosso contato. Tenho tanta coisa pra falar sobre seus planos e santidade... Nossos planos... Estou emocioanda com essa página.
    Sinto muitas saudades dele! Sei que no céu ele ainda intercede por mim. O que eu puder contribuir, estou a disposição!
    Sua irmã-amiga da alma, Kátia.

    ResponderExcluir
  4. Fui amigo do Guido durante toda a minha infância, fizemos a primeira comunhão juntos éramos muito próximos, gostávamos das mesmas coisas, até torcíamos pro mesmo time, jogamos juntos em times de futebol de areia, o futebol não era seu esporte preferido, mas até que ele se virava, me lembro que Guido foi ao maracanã pela primeira vez comigo e com meu pai, num jogo entre Flu e Grêmio, ele adorou, me lembro muito também também de nossas caminhadas, se não me engano aos sábados pela manhã com seu pai e seu avô até o arpoador, não me lembro de uma desavença ou briga com ele, apenas alguns atritos com o Maurício, em função dos jogos de atari que jogávamos na sua casa, Guido era diferente, muito polido, em função da educação que teve, perdemos o contato, pois me mudei para outra cidade, mas o que posso relatar dentro dos anos em que convivi com ele é que era um menino extremamente espiritualizado e brincalhão, me lembro de suas risadas, de suas brincadeiras, enfim, tive sorte de conviver não só com ele como todos nossos amigos, principalmente, Igor, Cambeto, Cláudio, Éverthon e Alejandro.

    ResponderExcluir